Seguidores

quarta-feira, 27 de junho de 2012

HASTES TELESCOPADAS NA OSTEOGENESIS IMPERFECTA


HASTES TELESCOPADAS NA OSTEOGENESIS IMPERFECTA



1- Como funcionam as hastes telescópicas?

Par de hastes que são fixadas em cada extremidade do osso longo e que funcionam como uma antena de automóvel. A parte proximal é fixada através de uma rosca de maior diâmetro, é a chamada haste fêmea, porque ela recobre a haste denominada macho, que tem sua fixação distal no osso, seja através de ponta rosqueada ou um bloqueio por um fio de kirshner.



2- Existe o tamanho de haste apropiado para cada caso?

Existem hastes feitas apropiadamente para cada osso longo: o fêmur, a tibia e o umero. Além disso são confeccionadas em diâmetros variados, e o exame radiológico prévio é de fundamental importância. As hastes fêmeas são de comprimento único e devem ser cortadas previamente a cirurgia ou ter em mãos um motor apropiado para o seu corte.



3- Elas acompanham todo o crescimento do osso?

Depende da idade em que são implantadas. Quando a criança ainda apresenta um grande potencial de cresciemnto existe a possibilidade da necessidade de sua troca. Além disso o fator grau de comprometimento do paciente também influencia na decisão, graus de maior acometimento ósseo apresentam uma menor taxa de crescimento final.



6 meses após a fixação, observar a consolidação óssea e o crescimento da haste.




4- Quando devo operar ?

Quanto mais precoce menores são as deformidades e menores os traumas das múltiplas fraturas, tanto para a criança quanto para os pais. O uso da medicação tornou muito menos freqüente as fraturas na vida dessas crianças. Mas deformidades pré existentes ou mesmo após uma fratura inicial devem ser avaliadas pelo médico responsável devido a estas deformidades poderem favorecer do ponto de visto mecânico a uma fratura.

3 anos com 03 cirurgias ósseas realizadas.



5- São cirurgias que não envolvem riscos?

São cirurgias de grande porte, que normalmente envolvem a necessiade de reposição sanguínea durante o ato cirúrgico ou mesmo após. São realizados múltiplos cortes no osso operado e um grande acesso cirúrgico é necessário. Apenas defomidades menores podem ser realizadas por pequenas incisões e cortes ósseos percutâneos.

6- Existem complicações?

Como em todo procedimento cirúrgico, mesmo executado por médicos bem treinados, existe a possibilidade de uma complicação. Esta vai desde uma infecção, seja ela superficial ou profunda, até intercorrências na fixação da haste. As hastes telescopadas mais modernas apresentam riscos menores de complicações, mas principalmente as solturas dos pontos de apoio proximal e distal não são infrequentes de acontecerem.

Soltura da rosca proximal

FONTE:

DR CELSO RIZZI

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Ortopedista Pediátrico CRM5251219.3
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...