Seguidores

domingo, 7 de outubro de 2012

Inglesa de 25 anos já quebrou os ossos 205 vezes



Quando Kay Tate chega à escola para buscar seu filho, ela é apenas mais uma mãe esperando no portão. Mas quando seu filho Lewis, 6 anos, corre para encontrá-la ele sabe que tem que ser cuidadoso. Kay mede 1,13 metro, enquanto o filho Lewis tem pouco menos de 1 metro de altura.

Kay, 25 anos, de Newcastle (Inglaterra), tem uma forma grave de Osteogêneses Imperfeita, mais comumente conhecida como doença dos ossos quebradiços. A condição hereditária significa que seu organismo não produz colágeno suficiente - o "cimento" que fornece aos ossos, força e flexibilidade. Sem níveis suficientes os ossos desenvolvem buracos e fraturam facilmente. Os ossos de Kay são tão frágeis, que ela já os quebrou 205 vezes.

Isso significa que Kay pode quebrar uma costela apenas com um espirro ou se um amigo abraçá-la com muita força. Ela admite que acha frustrante ter que pedir a amigos para ajudá-la a cada vez que ela precisa ir ao supermercado, já que ela não pode se arriscar a carregar nada pesado.

"Eu tenho que me preocupar com essas coisas o tempo todo. Se há um piso escorregadio eu preciso usar minha cadeira de rodas", acrescentou. Comprar roupas também é "terrível", uma vez que ela usa o tamanho equivalente a uma criança de seis anos.

Kay quebrou o primeiro osso no dia em que nasceu depois que ela sofreu uma fratura do fêmur durante o parto. A mãe e a irmã de Kay têm formas mais amenas da doença, então os médicos não tiveram dificuldade em identificar o diagnóstico.


Ela usou cadeira de rodas até os 14 anos, porque toda vez que tentava dar um passo, quebrava um osso. No entanto, ela finalmente conseguiu começar a andar depois de fazer fisioterapia todos os dias na escola. Apesar de suas dificuldades Kay nunca sofreu bullying na escola.

A determinação de viver sua própria vida a levou a tomar a decisão arriscada de ter um bebê quando ela tinha 19 anos. "Todo mundo me disse para eu não ter um filho, mas sabia que poderia lidar com um bebê. Quando engravidei, minha família ficou tão assustada que pediu para eu considerar a possibilidade de um aborto", disse ela.


"Quando eu estava com 27 semanas de gravidez, eu caí e quebrei minha perna por isso tive de ficar em uma cadeira de rodas. Lewis nasceu prematuro, com 35 semanas e teve de ir para a UTI por duas semanas antes que eu pudesse levá-lo para casa".

Kay passou por uma série de operações para tratar a sua condição. Mais recentemente, ela teve uma osteotomia.

"Eu tinha quebrado o fêmur (osso da coxa) 30 vezes e o osso ficou em uma posição curvada. Os médicos quebraram o osso novamente para endireitá-lo antes de colocar uma placa", disse ela.


Apesar de todos os seus contratempos Kay, que é uma embaixadora da sociedade dos ossos frágeis ainda é otimista.

"Eu só acho que há sempre alguém pior do que você", disse ela.

"Eu não vou morrer com esta condição e eu aprendi que tenho de viver a minha vida corretamente, pois algo sempre vai quebrar de qualquer maneira. Seis meses atrás, eu espirrei e quebrou uma costela!"

"Você pode muito bem ter uma fratura sem fazer algo emocionante".
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...